Base da Filosofia

http://www.facebook.com/wellingtonsversut

Filosofia da Arte ou Estética - Missão 14 - Dickie - Artworld

Ler de modo filosófico textos de diferentes estruturas e registros (PCNs, página 64)

A Fonte - Duchamp
http://adriarteetcetal.blogspot.com/2011/04/o-que-um-urinol-masculino-estaria.html
Acesso em 24 de janeiro de 2012
Roda de Bicicleta - Duchamp
http://www.arquitetonico.ufsc.br/ready-made
Acesso em: 24 de janeiro de 2012

Filosofia da Arte ou Estética
Tema: Artworld
Questão Central:
Filósofo: George Dickie (1926 –)
Obra: Art and the Aesthetic (1974)

Biografia

George Dickie é professor emérito de Filosofia na Universidade de Illinois, Chicago. É autor de diversos livros sobre Estética e Arte.

Ler textos filosóficos de modo significativo (PCNs)

Art and the Aesthetic (1974)

Usarei o temor (...) “mundo-arte” (artworld) para referir a ampla instituição social na qual as obras de arte têm o seu lugar. (...)
As instituições associadas com o teatro variaram de época para época: no começo eram a religião e o estado gregos; na época medieval, a Igreja; mais recentemente, a iniciativa privada e o estado (teatro nacional). O que permaneceu constante em sua identidade através dos tempos é o próprio teatro como maneira estabelecida de operar e comportar-se. (...) O comportamento institucionalizado ocorre de ambos os lados das luzes da ribalta: tanto os atores como a audiência se acham envolvidos em levar adiante a instituição do teatro. (...) Quando chamo o mundo-arte uma instituição estou dizendo que é uma prática estabelecida. (...)
O teatro é somente um dos sistemas no interior do mundo-arte. (...) Duchamp e seus amigos conferiram o status de arte a rady-mades (urinóis, cabides, pás-de-neve), e quando refletimos sobre seus feitos notamos um tipo de ação que até agora passou despercebida e sem apreciação – a ação de conferir o status de arte.
Os pintores e escultores empenharam-se desde sempre na ação de conferir este status aos objetos que criam. Todavia, enquanto os objetos criados eram convencionais dado o paradigma da época, os próprios objetos e as fascinantes propriedades em exibição eram o foco da atenção não só dos espectadores e críticos mas também dos filósofos da arte. Quando um artista de uma época pretérita pintava uma tela fazia algumas (ou todas) destas coisas: figurava um ser humano, retratava um certo homem, cumpria uma encomenda, trabalhava para seu sustente e assim por diante. Além disso, agia também como um agente do mundo-arte e conferia o status de arte à sua criação. (...) Como obras de arte, os ready-mades de Duchamp podem não ser de grande valia, mas como exemplos de arte são muito valiosos para a teoria da arte. (...)
Não penso que haja qualquer razão para a existência de um tipo especial de apreciação estética.
Tudo o que é significado por “apreciação” na definição é algo como “ao experimentar as qualidades duma coisa achamo-las meritórias ou valiosas”, e este significado aplica-se geralmente tanto dentro como fora do domínio da arte (...); o único sentido em que existe uma diferença entre a apreciação da arte e a apreciação da não-arte é que as apreciações têm diferentes objetos. É a estrutura institucional em que o objeto de arte se acha encaixado que marca a diferença.

Dicionário Filosófico

O movimento Dadá (Dada) ou Dadaísmo foi uma vanguarda moderna iniciada em Zurique, em 1916, no chamado Cabaret Voltaire, por um grupo de escritores e artistas plásticos, dois deles desertores do serviço militar alemão e que era liderado por Tristan Tzara, Hugo Ball e Hans Arp.
Embora a palavra dada em francês signifique cavalo de brinquedo, sua utilização marca o non-sense ou falta de sentido que pode ter a linguagem (como na língua de um bebê). Para reforçar esta idéia foi criado o mito de que o nome foi escolhido aleatoriamente, abrindo-se uma página de um dicionário e inserindo-se um estilete sobre a mesma. Isso foi feito para simbolizar o caráter anti-racional do movimento, claramente contrário à Primeira Guerra Mundial. Em poucos anos, o movimento alcançou, além de Zurique, as cidades de Barcelona, Berlim, Colônia, Hanôver, Nova York e Paris.

O ready made nomeia a principal estratégia de fazer artístico do artista Marcel Duchamp. Essa estratégia refere-se ao uso de objetos industrializados no âmbito da arte, desprezando noções comuns à arte histórica como estilo ou manufatura do objeto de arte, e referindo sua produção primariamente à idéia.
Se se considera que a característica essencial do Dadaísmo é a atitude antiarte, Duchamp será o dadaísta por excelência. De fato, por volta de 1915, quando abandona a pintura, assume uma atitude de rompimento com o conceito de arte histórica, que caracteriza como "retiniana", expressão que remete, por um lado, à imediatez da imagem, e, por outro, ao modelo de visão exteriorizado que caracteriza a filosofia de Descartes, modelo que persiste ao longo dos séculos XV, XVI e mesmo até o XIX com a invenção da Fotografia.
O ready-made se caracteriza por uma operação de sentido que faz retornar o literário ao problema da arte, contrariando a ênfase modernista na forma do objeto artístico. O conceito de alegoria retorna na forma de uma operação que a materializa concretamente. E ao adotar tal operação de sentido, Duchamp termina por implicar mais que a obra de arte; é necessário tratar de toda a constelação estética que envolve a obra e da conjuntura de sentido que a produz, mas também a que a sustenta e sanciona.
É o caso de "Fonte", de 1917. Apresentada no Salão da Sociedade Novaiorquina de artistas independentes, constitui-se a partir de um urinol invertido. A operação que o caracteriza é o deslocamento de uma situação não artística para o contexto de arte. Tal operação é marcada por sua apresentação como escultura e assinatura. À inversão física do objeto corresponde a inversão de seu sentido, que se espelha no corpo do espectador. Do mesmo modo, "Porta-garrafas"(1914, readymade) e "Roda de bicicleta" (1913, readymade assistido) tiram partido de um deslocamento e manipulação do objeto para tornar o sentido de sua aparição crítico.


Elaborar por escrito o que foi apropriado de modo reflexivo (PCNs)

Hora Certa

Total de visualizações de página